sábado, 19 de junho de 2010

TEÓLOGO HANS KÜNG DECLARA-SE "BOM CATÓLICO, MAS CRÍTICO"

Bogotá, 26 mar (RV) - O teólogo suíço, Hans Küng, presidente da Fundação Ética Mundial, e que concluiu uma visita de uma semana à Colômbia, se declarou "bom católico, mas crítico".

Küng assinalou, numa entrevista publicada sábado, 24, pelo jornal "El Tiempo", que os últimos pronunciamentos de Bento XVI sobre temas como o celibato sacerdotal, não são "uma coisa pessoal do Papa", mas "o produto de uma mentalidade que vem de um paradigma da Idade Média".

"Essa é a posição que vem de séculos. Ratzinger, infelizmente - acrescentou o teólogo - não a mudou."

Quanto ao ensino da religião, Küng explicou que os católicos "não são capazes de impor sua convicção católica sobre toda a população", mas advertiu os leigos de que "há perguntas que a ciência não pode responder".

"No campo dogmático, é difícil que o jovem moderno aceite tudo o que diz literalmente a Bíblia. Por outro lado, uma educação exclusivamente secular esquece uma dimensão muito profunda que existe no coração do indivíduo e também da sociedade" - afirmou o teólogo.

Küng acrescentou que "as questões da vida não se respondem com a Biologia. Exige-se um meio-termo", e argumentou que "o projeto de Ética Mundial é precisamente o método que satisfaz as duas partes".

"Projeto de ética mundial" é também o título de um livro do teólogo Hans Küng, que estuda a necessidade de uma ética fundada em argumentos discutidos pela comunidade humana planetária superando os autoritarismos morais. Analisa e propõe passos nessa direção, considerando as diferentes expressões na sociedade, inclusive o papel exercido pelas religiões. (MZ).


Para ler mais sobre Hans Küng, clique aqui.