segunda-feira, 28 de junho de 2010

COMO SURGIRAM OS SINAIS MASSORÉTICOS?

Por Jones Mendonça

A escrita hebraica antiga não possuía vogais. A vocalização das palavras era transmitida pela tradição, de pai para filho. Quando um judeu se deparava com a palavra hebraica דוד  - dálet (d), vav (v), dálet (d) - por exemplo, sabia que era uma referência a David, o grande rei israelita.  Com o tempo surgiu o receio de que a pronúncia correta das palavras fosse perdida, já que o hebraico era falado apenas por uma pequena parte da população, com uso estritamente litúrgico.

As primeiras experiências com sinais que pudessem ajudar na vocalização dos textos foram feitas com o Talmude, coleção de escritos sagrados do judaísmo. Comunidades judaicas que viviam na Palestina e na Babilônia, no século V, desenvolveram uma série de pontos vocálicos que ficavam acima das consoantes. Por volta de 900 d.C o sistema tiberiense suplantou os métodos palestinense e babilônico colocando os pontos abaixo das consoantes. Esses pontos vocálicos foram acompanhados de acentos que serviam para dar ritmo ao texto que era lido nas sinagogas. Veja abaixo um texto hebraico de Gn 1,1 com e sem os sinais vocálicos:

Além dos sinais vocálicos e acentos também foram feitos comentários críticos em notas marginais do texto que tinham a função de identificar grafias fora do comum, palavras e formas gramaticais e até mesmo o número de letras contidas no texto. Essas notas eram chamadas de Massora (tradição) e os responsáveis pelas notas de Massoretas. Os sinais e acentos ficaram conhecidos como “sinais massoréticos”.

A padronização dos sinais e pontuação criados pelos massoretas se deu por volta do século X com o trabalho das famílias ben Asher e ben Naphtali. Uma dessas famílias, a de Ben Asher, foi responsável pela produção de importantes códices, tais como o Códice do Cairo (895 d.C.), o Códice Alepo (900-950 d.C.) e o Códice Leningrado (1008 d.C.). Os registros contidos nesses códices são conhecidos como textos massoréticos. O texto do Antigo Testamento que consta atualmente em nossas Bíblias é baseado nos textos massoréticos.

Referências bibliográficas:
GOTTWALD, Norman K. Introdução socioliterária à Bíblia hebraica. Tra­dução de Anacleto Alvarez. São Paulo: Paulinas, 1988.
E-SWORD. the sword of the lord with an eletronic edge. 2007. Software de Ferramentas e Comentários Bíblicos.