sexta-feira, 29 de agosto de 2014

BAÚ DE NÉVOA

A utopia capitalista projeta o reino idílico não na sociedade perfeita, onde se reparte o pão, o teto e as alegrias. Seu tesouro, tecido com o fio dos sonhos, está além do arco-íris, guardado num baú de névoa, sob a proteção de dois querubins. Como é sonho egoísta, tem motor com potência infinita. O resultado: não há combustível que sacie essa sede.


Jones F. Mendonça

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

ATLAS HISTÓRICO DA BÍBLIA [E-BOOK]

Coisa rara é encontrar um bom livro de geografia bíblica que apresente a narrativa dos dois Testamentos sem a ingenuidade típica de grande parte que tem sido publicado. Fuçando aqui e ali me deparei com a obra “Atlas histórico de la Biblia” de José Ochoa. O autor, que é doutor em filosofia clássica e documentarista, produziu um volume para o Antigo e outro para o Novo Testamento. Neles você vai encontrar trechos de documentos produzidos pelos povos vizinhos, descobertas arqueológicas, gráficos e – óbvio - muitos mapas. A forma como Ochoa expõe sua obra é bem expressa na introdução:
Los libros de la Biblia sólo en parte pueden ser considerados fuente histórica, ya que el principal objetivo de sus textos es rememorar las intervenciones de Yahvé, el dios de Israel, durante aproximadamente un milenio. En este atlas histórico no nos vamos a ocupar del carácter de libro revelado de la Biblia, sino de los hechos históricos que en ella se pueden rastrear y de las evidencias que obtenemos de las culturas que compartieron los pueblos del Próximo Oriente Antiguo.
Gostou? Então baixe os dois volumes na página do autor (em PDF, espanhol).



Jones F. Mendonça

PIETER BRUEGEL E A VIDA CAMPONESA

O padrão era retratar a nobreza, o clero e as cenas religiosas, e então surge Pieter Bruegel (1525-1569) revelando a vida camponesa com suas alegrias, tristezas, paixões, dramas e o eterno conflito entre o prazer e a castidade num mundo governado sob cetro de ferro do cristianismo. A tela abaixo mostra crianças brincando (sim, houve um tempo em que elas brincavam...).

Mais de Bruegel aqui (clique em "search" e digite “Bruegel” no espaço “author”:


Jones F. Mendonça

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

NOVA EDIÇÃO CRÍTICA DA BÍBLIA HEBRAICA [GRÁTIS E ONLINE]

Um novo projeto patrocinado pela SBL tem empolgado estudantes da Bíblia hebraica. Trata-se de um trabalho “contendo textos críticos de cada livro da Bíblia hebraica, acompanhados por extenso comentário da crítica textual e introduções para cada volume”. A HBCE (Hebrew Bible Critical Edition) não reproduzirá um único manuscrito (como é o caso das outras edições críticas, como a BHQ), mas pretende apresentar como resultado o mais antigo texto recuperável de um determinado livro (chamado de “arquétipo”). 

Considerando que as diferenças entre os manuscritos existentes foram produzidas pela mão do copista, será necessário corrigir erros e revisões deliberadas feitas no “texto original”, motivadas pelo desejo de explicar, atualizar, harmonizar e até mesmo expurgar do texto elementos indesejáveis. O primeiro volume concluído do projeto será lançado em outubro deste ano (o livro de Provérbios) e estará disponível numa versão eletrônica com acesso livre.

Mais aqui.



Jones F. Mendonça

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O NEOMEDIEVO E AS GUERRAS CÍNICAS

Como se não bastassem os delírios do Estado Islâmico em sua ambição pelo estabelecimento de um califado entre a Síria e o Iraque, o Boko Haram também proclamou um califado islâmico na Nigéria. Cabeças cortadas, corpos crucificados, mulheres escravizadas. Corsários empunhando bandeiras negras numa cruzada insana. Bem vindos ao "neomedievo". Enquanto isso, na banda "mais civilizada"...

Os EUA lançando seus poderosos aviõezinhos não tripulados, torturando suspeitos e espionando até mesmo a latrina dos seus aliados. Israel construindo muros e lançando mísseis num povo moribundo. A Europa agonizando em dívidas, desemprego e desaceleração da economia. A América Latina tentando romper antigos grilhões. O Dragão e o Urso exibindo garras e dentes afiados. Bem vindos à terceira guerra mundial “estilo light pulverizado”.



Jones F. Mendonça

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

DIVERSA PONDERA

Notícia 1: “O exército de Israel demoliu as casas dos palestinos suspeitos do assassinado dos três meninos israelenses”. 

Ouço uma voz: “Bem feito, é isso o que as famílias desses árabes terroristas merecem”. 

Notícia 2: “As casas dos israelenses suspeitos pela morte do menino palestino não serão derrubadas” (É que a lei só se aplica aos palestinos). 

Ouço uma voz?


Jones F. Mendonça

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

A RELIGIÃO DOS YAZIDIS

Templo yazidi, em Lalish
O povo Yazidi - principal vítima dos jihadistas do norte do Iraque - possui uma religião muita antiga e curiosa. Ao que parece mescla elementos do zoroastrismo (religião dualista persa), sufismo (misticismo islâmico), gnosticismo (vertente esotérica do cristianismo muito difundida no segundo século) e outras tradições religiosas, talvez até mesmo pré-zoroástricas.

Um relato yazidi conta que Deus criou sete seres angelicais. Um deles, Tawûsê Melek , foi orientado por Deus a não se curvar a outro seres. Quando Adão foi formado, todos os demais seres angelicais se curvaram a ele, exceto Tawûsê Melek. Tal postura foi elogiada pelo Criador, que lhe ofereceu o posto de representante de Deus na terra (na tradição islâmica Iblis, um ser angelical, foi condenado - e não elogiado - por uma postura semelhante).

O fato de cultuarem um anjo que desceu do céu (Tawûsê Melek ) contribuiu para que cristãos e muçulmanos os tomassem como adoradores de satã. Essa é uma das razões do ódio (obviamente injustificável) que os extremistas islâmicos cultivam pelo povo yadizi. No passado os yazidis também foram perseguidos pelos otomanos e por líderes curdos.  

Belas fotos, aqui, aqui e aqui.

Um site com muitas informações e fotos aquiaqui.



Jones F. Mendonça

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

HOMO SAPIENS, HOMO DEMENS

Arte: James Jean
O Estado Islâmico, grupo terrorista surgido durante a ocupação americana na Iraque, talvez seja uma das mais radicais formas de fundamentalismo religioso já surgida. As imagens e relatos que chegam até nós são assustadoras. Eles decapitam soldados sírios, crucificam cristãos, escravizam mulheres, enterram vivo o povo yazidi do norte do Iraque e fuzilam sem piedade xiitas, ramificação do islã que mais odeiam. Trata-se de um verdadeiro exército terrorista. Seu plano: fundar um califado (governo teocrático islâmico) numa região que abarca os territórios do Iraque e da Síria.

Mas é um erro pensar que o fundamentalismo é coisa exclusiva do islamismo ou até mesmo da religião. Na Idade Média religiosos torturavam hereges, “bruxas” e outros inimigos da Igreja sob a bandeira do cristianismo. A Alemanha de Hitler perseguia judeus, negros, idosos e doentes mentais com um apelo nacionalista, incutindo na mente do povo a idéia de uma suposta superioridade racial do povo alemão. Aqueles que supõem que o homem moderno alcançou elevado nível de civilidade parecem estar enganados. Estará o homem - filho da “diáspora pré-histórica” - condenado a oscilar ad eternum entre a sapiência e a demência?



Jones F. Mendonça

sábado, 9 de agosto de 2014

AVICII - HEY BROTHER

AVICII - WAKE ME UP

OS PORTÕES DE NÍNIVE


A antiga cidade de Nínive era cercada por uma muralha de pedra e tijolos equipada com 15 portões monumentais. Este da foto é o portão de Nergal (deus da doença, da guerra e da morte), adornado com esfinges de pedra (os Lamassu). Trata-se de uma reconstrução conjectural feita no século XX.  A Nínive antiga (famosa pelo relato do profeta Jonas), construída às margens do rio Tigre, é a moderna Mosul, atualmente ameaçada pelo Estado Islâmico, grupo ultra-radical também conhecido como ISIS ou ISIL ("filhote" da Al Qaeda, nascido durante a ocupação americana no Iraque).

Veja cinco dos quinze portões de Nínive (Mashki, Nergal, Adad, Shamash e Halzi) no Google Maps aqui

Jones F. Mendonça

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

LIMPEZA ÉTNICO-RELIGIOSA NO IRAQUE

O “Estado Islâmico” (antigo ISIS) - grupo fundamentalista islâmico de origem sunita - vem promovendo uma limpeza étnica no Iraque. As vítimas: xiitas, alauitas, cristãos e principalmente o povo yazidi (membros de uma religião que mescla elementos do zoroastrismo e do sufismo), do norte do país. Em Gaza já morreram aproximadamente duas mil pessoas em algumas semanas. No Iraque morre a mesma quantidade em apenas um dia. Assustador.



Jones F. Mendonça

terça-feira, 5 de agosto de 2014

HEREM, CRUZADAS E GIHAD: CADA QUAL COM SUA GUERRA SANTA

Karl Barth na Time
Os judeus jamais foram vistos com bons olhos pelos cristãos. Foi assim nos primeiros séculos, foi assim durante a Reforma (sobretudo com Lutero), foi assim até a Segunda guerra Mundial. Karl Barth, em seu texto “A questão dos judeus e sua resposta cristã” (1949) talvez tenha sido o primeiro a romper com essa “teologia antijudaica” Mas a reflexão de Barth também marcou uma virada de mesa.

Criou-se, a partir da fundação do Estado judeu (1948) e da consequente reação hostil de países como Jordânia, Egito, Síria e Iraque, o mito de que árabes (muçulmanos) e judeus são inimigos eternos. Ora, do século VII até o século XX (com algumas interrupções), a Palestina foi submetida ao domínio muçulmano: Inicialmente árabe (a partir do século VII); depois turco (a partir do século XVI). Judeus sofreram perseguições tanto na Europa cristã como na Palestina muçulmana. A mais cruel e sangrenta veio de um país protestante: a Alemanha de Lutero dominada por Hitler.

Estamos no século XXI e ainda há quem busque em suas letras sagradas (seja muçulmano, seja judeu, seja cristão) as razões para conflitos que tem origem política e econômica. No caso particular dos cristãos há algo curioso. Até o final da Segunda Guerra Mundial: “judeus estão pagando pela crucificação de Cristo”. Depois disso: “o exército de Israel é o exército de Deus”. Pobre mente bipolar.



Jones F. Mendonça