sábado, 28 de julho de 2012

CALVINO E O GALARDÃO: UMA RECOMPENSA QUE NÃO É RECOMPENSA


Uma curiosidade que me atormentou há alguns anos: como Calvino compreendeu o galardão, uma vez que alguns textos bíblicos (p. ex. 1Co 3,8 e Ap 22,12) e o próprio sentido da palavra grega misthós parecem dizer que se trata de um prêmio, uma recompensa ou até mesmo salário (como em Mt 20,8 e Rm 4,4) pelas obras de cada indivíduo? Haveria aí um conflito entre a doutrina da graça e a promessa numa recompensa supraterrena baseada em méritos pessoais? O reformados francês trata do assunto no Livro II, V, 2 das suas Institutas.

Citando Agostinho diversas vezes, Calvino explica que “os pecados são do homem, os méritos, de Deus” e que “o mérito procede da graça, e não a graça do mérito”. Ele finaliza dizendo que “Deus precede a todos os méritos com seus dons, para que daí sobreleve seus méritos, e os dá inteiramente de graça, porquanto nada acha no homem para que o salve”.  

Traduzindo para um leitor não iniciado na complexa arte de teologar: Sou um pecador atolado na lama. A graça de Deus, como um raio, corta os céus e me atinge, libertando-me do atoleiro (muitos outros continuam lá, abandonados à sua própria sorte). Seres celestiais vestem-me com roupas limpas, reparam minha vontade perversa e me concedem muitos dons, que produzirão méritos. Mas estes méritos, que fique claro, não são meus, uma vez que nada partiu de mim, mas do Deus que me libertou do atoleiro. 

Há quem diga que os “mistérios da graça” não podem ser entendidos. Então para quê tentar explicar? Fica a pergunta: se os méritos não são produto do esforço individual da criatura humana, por que cargas d’àgua os textos dizem: “o galardão que tenho para distribuir a cada um segundo o seu trabalho/obras” e não “...segundo as obras de Deus por intermédio do homem”?

Seria uma "pegadinha" dos hagiógrafos?

Lutero ao menos foi honesto atribuindo menor valor canônico aos textos que não lhe agradaram. Tiago, pobre Tiago, virou “epístola de palha”. Triste destino...


Jones F. Mendonça