quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O SINAL DA BESTA NA LEI E NOS PROFETAS


Ezequiel, de Duccio di  Buonin-
segna. O tav na mão e na testa
foram inseridos por mim.
Código, de barras, cartão de crédito, microchip subcutâneo... O que mais vão inventar como sendo o sinal da besta do Apocalipse? Todas essas especulações partem de uma leitura pouco atenta de Ap 14,9.10a. Eis o texto:
Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca (xaragma) na fronte (metopou) ou sobre a mão (xeira), também esse beberá do vinho da cólera de Deus...   
De acordo com o texto, a marca (ou selo) da besta deve aparecer na fronte ou sobre a mão. João, com certeza, está fazendo alusão a uma antiga fórmula repetida pelos hebreus:
Ex 13,9 E será como sinal (’ot) na tua mão (yad) e por memorial entre teus olhos (‘ayn); para que a lei do SENHOR esteja na tua boca; pois com mão forte o SENHOR te tirou do Egito.
Ex 13,16 E isto será como sinal na tua mão e por frontais entre os teus olhos; porque o SENHOR com mão forte nos tirou do Egito.
Dt 6,8 Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.
Dt 11,18 Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma; atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por frontal entre os olhos.
Como se vê, era entre os olhos (na testa) e na mão que Yahweh “marcava” os seus fiéis súditos. Uma metáfora, não resta dúvida. O profeta Ezequiel retoma a fórmula (reduzida a apenas um sinal na testa) e a aplica aos israelitas que não se contaminaram com os ídolos estrangeiros:
Ez 9,4 e lhe disse: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal (um tav, última letra do alfabeto hebraico) a testa dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela.
Ez 9,6 mata a velhos, a moços e a virgens, a crianças e a mulheres, até exterminá-los; mas a todo homem que tiver o sinal não vos chegueis; começai pelo meu santuário.
A grande diferença entre Ezequiel e Apocalipse é que no primeiro livro a marca é dada aos que se conservam fiéis a Yahweh. Em Apocalipse, ao contrário, os marcados são os que se curvam diante da Besta. A intenção de João é mostrar que a besta busca de todas as maneiras imitar Deus. Há inclusive uma trindade malévola: dragão, besta, profeta da besta (cap. 12, 13, 16), dotada de impressionante poder, capaz de operar milagres, ressuscitar mortos e até mesmo ressuscitar a si própria (uma clara paródia à ressurreição de Cristo – Nero?).

João falava a pessoas reais, num tempo de perseguição real. É de se esperar que sua mensagem tivesse algum sentido para seus destinatários. Quem quer que tenha sido a besta, já veio e já se foi. Aliás, já foi tarde....


Jones F. Mendonça