quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

TOMANDO FÔLEGO

Não é o Everest, mas ter subido o morro da elevatória da CEDAE, em Campo Grande, RJ, foi uma experiência gratificante (foto 01). A segunda foto mostra um antigo reservatório de água abastecido pelo rio Guandu. O funcionário que trabalha na portaria me informou que abaixo do gramado há uma cisterna com cerca de 30 metros de profundidade! 

Ontem pedalei pelas trilhas do morro do Mendanha (ao fundo, na primeira foto). Dizem que existe um vulcão inativo por aquelas bandas. Meu objetivo é chegar à torre de retransmissão de UHF que fica no topo. Será uma longa jornada. 

No final de janeiro recomeçam as aulas no STBC. Vou lecionar hermenêutica bíblica, hebraico bíblico e Introdução Bíblica ao A.T. O contato com a natureza tem renovado minhas forças. 


Jones F. Mendonça