sábado, 3 de outubro de 2009

A EXEGESE ALEGÓRICA DA EPÍSTOLA DE BARNABÉ

Por Jones Mendonça

O capítulo 10 da Epístola de Barnabé, documento escrito por volta segundo século da era cristã, faz uma interpretação muito curiosa de algumas recomendações dadas por Moisés (Dt 14). Era muito comum nesta época, interpretar textos bíblicos pelo método alegórico , que procurava dar a cada detalhe do texto um sentido mais profundo. Esse método exegético fez escola no judaísmo helenístico.


Sobre a proibição de se comer a carne do porco , ele explica:


“Eis o significado do que ele diz sobre o porco: ‘Não te ligarás a esses homens que se assemelham aos porcos [...] Assim é o porco: enquanto está comendo, ele não conhece seu dono; mas quando está com fome, ele grunhe e, uma vez tendo comido, volta a se calar.


Sobre a águia, o gavião e o corvo ele diz:


“Isto é: não te ligarás, imitando-os, a esses homens que não sabem ganhar o alimento por meio do trabalho e do suor, mas que, em sua injustiça, arrebatam o bem alheio [...] Eles são como essas aves, as únicas que não providenciam o alimento por si próprias, mas se empoleiram ociosamente, procurando a ocasião de se alimentar da carne dos outros. São verdadeiros flagelos por sua crueldade.


Sobre os peixes há também uma explicação:


“Não te assemelharás, ligando-te a esses homens que são radicalmente ímpios e já estão condenados à morte. O mesmo acontece com esses peixes: são os únicos amaldiçoados, que nadam nas profundezas, sem subirem como os outros; permanecem no fundo da terra, habitando o abismo”.


Há ainda uma ainda mais curiosa sobre a proibição de não se comerem lebres e hienas:


“Também ‘não comerás a lebre’. Por que razão? Isso quer dizer: não serás pederasta, nem imitarás aqueles que são assim. Porque a lebre, a cada ano, multiplica seu ânus. Ela tem tantos orifícios quanto o número de seus anos. Também ‘não comerás a hiena’. Isso quer dizer: não serás nem adúltero, nem homossexual, e não te assemelharás àqueles que são assim. Por que razão? Porque esse animal muda de sexo todos os anos e torna se ora macho, ora fêmea.

O pior é que ainda hoje vemos pessoas utilizando esse tipo de exegese! O livro “Signos no céu, de Marilyn Hickey procura estabelecer paralelos entre o zodíaco e profecias acerca de Jesus. Com o método elegórico tudo é possível...

Imagem: Capa do livro "Signos no céu" de Marilyn Hickey.