quinta-feira, 14 de março de 2013

YAHWEH SOBRE QUERUBINS


Fonte: University of Oxford
“Yahweh está entronizado sobre os querubins”, expressão que é repetida em cânticos cristãos como um mantra. Mas qual o sentido dessa frase? Eis alguns textos nos quais essa ideia aparece:
1Sm 4,4  Enviou, pois, o povo a Siló, e trouxeram de lá a arca do pacto do Senhor dos exércitos, que se assenta sobre os querubins...

2Sm 6,2  ... o nome do Senhor dos exércitos, que se assenta sobre os querubins.

Sl 99,1  O Senhor reina, tremam os povos; ele está entronizado sobre os querubins...

Is 37,16 O Senhor dos exércitos, Deus de Israel, tu que estás sentado sobre os querubins...
A imagem de uma divindade (ou um rei) sustentada por querubins vem de um ideário religioso estrangeiro, como atestam inúmeras figuras encontradas na região do Fértil crescente (daí minha tese de que Ez 28 fala de um rei e um querubim, como na LXX, e não de um rei-querubim). Sobre a arca da aliança havia dois querubins, provavelmente indicando um trono (vazio) que era ocupado por Yahweh. Note que Yahweh falava a Moisés “do meio dos dois querubins”:
E ali virei a ti, e de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins que estão sobre a arca do testemunho, falarei contigo a respeito de tudo o que eu te ordenar no tocante aos filhos de Israel (Ex 25,22).
Outro texto que deixa evidente que a arca era uma espécie de suporte, trono ou pedestal divino, encontra-se em Nm 10,35:
Quando, pois, a arca partia, dizia Moisés: Levanta-te, Senhor, e dissipados sejam os teus inimigos, e fujam diante de ti os que te odeiam.
Em Ezequiel Yahweh surge majestosamente na Babilônia voando sobre um trono sustentado por querubins (que na verdade são esfinges, imponentes bestas aladas):
Então os querubins elevaram as suas asas, estando as rodas ao lado deles; e a glória do Deus de Israel estava em cima sobre eles (Ez 11,22).
A antiga crença de que o templo era "morada de Yahweh" já estava ultrapassada. A mensagem é clara: Yahweh não foi destruído com o templo. Ele veio até Babilônia para nos resgatar das mãos dos nossos inimigos.

Quando Jeroboão mandou confeccionar um bezerro de ouro, pensava provavelmente numa espécie de pedestal (como a arca de Jerusalém) e não numa imagem a ser adorada. Mas quem contou a história foi o povo de Judá...


Jones F. Mendonça