domingo, 24 de julho de 2011

A GENEALOGIA DE MATEUS: 13 OU 14 GERAÇÕES?

Nesta semana assisti, por acaso, a explicação do rabino messiânico Marcos Andrade Abrão para os intrigantes desacordos entre a genealogia de Jesus presentes em Mateus e Lucas (assista o vídeo aqui). Há diversos problemas envolvidos nessa questão, mas me deterei em apenas um. Lá no verso 17 do capítulo 1 de Mateus lemos o seguinte:
De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze gerações; e desde Davi até a deportação para a babilônia, catorze gerações; e desde a deportação para a babilônia até Cristo, catorze gerações.
Para dividir a genealogia de Abraão a Jesus em três partes iguais Mateus teria omitido alguns nomes. Até aí, tudo bem. O problema surge quando contamos os nomes citados pelo evangelista desde o exílio até Jesus (de Jeconias a José).  A soma dá 13 e não 14. Estranho.

Solução apresentada pelo rabino: Mateus foi escrito originalmente em aramaico ou hebraico e a palavra traduzida por “marido” em Mt 1,16, deveria ter sido traduzida por “pai”.
e Jacó gerou José, marido (segundo o rabino, “pai”) de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo. 
Caso o tal José da genealogia seja o pai de não o marido de Maria, a conta fecha direitinho. Ele defende que a palavra no tal manuscrito hebraico/aramaico perdido seria  “g'abrah”, que pode significar tanto marido como pai (atente para isso). Quem traduziu o texto para o grego cometeu um equívoco. 

A explicação parece perfeita. Fui investigar. Sei que não há manuscritos de Mateus em aramaico, mas existe uma versão em siríaco chamada Peshitta, um idioma próximo do aramaico. Consultei Mateus 1,16 numa Peshitta do Novo Testamento publicada pelo British Foreign Bible Society, 1905/1920. Abaixo uma imagem do texto. A palavra g'abrah” aparece em destaque:

Mt 1,16 na Peshitta

Bem, até aqui o rabino tem razão. Agora é preciso consultar um léxico siríaco para saber se sua tradução está correta. Encontrei este:

SMITH, J. Payne. A compendious Syriac Dictionary. Oxford: at the Clarendon Press, 1903.

Está lá na página 194: man (homem), rusband (marido), person (pessoa). 

Nada de “pai”. Fiquei pensando, o rabino não iria cometer um erro tão grosseiro. Algum léxico deve trazer “pai” como tradução para g'abrah”. Com o espírito inquieto saí em busca de outros léxicos siríacos. Consegui mais dois:

JENNINGS, William. Lexicon to the syriac New Testament (peshitta). Oxford: at the Clarendon Press, 1926. p 44.

Resultado para g'abrah: Man (homem), husband (marido), person (pessoa).

Dukhrana Analytical Lexicon of the Syriac New Testament. http://dukhrana.com/lexicon/word.php?adr=2:3488&font=Estrangelo+Edessa&size=150%. Acesso em 05/07/11.

Resultado para g'abrah: Man (homem), husband (marido), person (pessoa).

Para finalizar, consultei o termo hebraico e aramaico correspondente ao g’abrah siríaco.

Em hebraico: forte, viril, guerreiro, valente, herói, violento, déspota, influente.
Em aramaico: homem forte (ocorre no texto aramaico de Dn 3,20). 

É, me parece que é preciso resolver o mistério de Mt 1,16-17 de outra maneira. 


Jones F. Mendonça