quarta-feira, 30 de março de 2011

PEDRO TROPEÇA NAS GUTURAIS E O GALO CANTA

Na época de Jesus ser um galileu significava ser um judeu de segunda classe. Indivíduos dessa região eram denunciados pelo sotaque, como na passagem em que Pedro nega ser um seguidor de Jesus, mas logo é identificado pelo sumo-sacerdote: “teu dialeto te denuncia” (Mt 26,73; Mc 14,70; Lc 22,59). O aramaico falado pelos hieropolitanos era considerado superior, levando em conta que a classe dominante vivia Jerusalém. Um exemplo que deixa evidente o sarcasmo que tinham que suportar os galileus perante os moradores de Jerusalém é citado por Geza Vermes. A historieta narra um galileu tentando fazer compras num mercado em Jerusalém. Como tinha dificuldade com as guturais, consoantes pronunciadas na garganta, logo se torna alvo de chacotas:
"Ô galileu, tolo, o que tu precisas é de uma coisa para montar (hamâr, um burro), de algo para beber (hamar, vinho), algo para fazer uma roupa ('amar, lã), ou algo para um sacrifício no Templo (immar, cordeiro)” (bEribin, 53b)[1].
É Pedro, teu sotaque te denuncia!

Nota:
[1] VERMES, Geza. As várias faces de Jesus. Rio de Janeiro: Record, 2006, p. 326.