domingo, 6 de março de 2011

CARNAVAL: FESTA DA CARNE?

Carnaval medieval: a festa funcionava como válvula de escape para os
camponeses oprimidos pela nobreza e pelo o clero. 

Sempre ouço as pessoas dizerem que a palavra carnaval significa “festa da carne”, como se o objeto festejado fosse a carnalidade, ou seja, a bebedice, a glutonaria, o sexo desenfreado, etc. Vejamos o que dizem algumas pessoas que estudaram o assunto (citações traduzidas do espanhol):
A palavra carnaval vem do italiano carnevalle, refere-se a um período de tempo que se pode comer carne: carnal ou carnevale (carne vale). Esta palavra vem do latim Carnem levare (retirar a carne), refere-se à proibição da carne durante os quarenta dias da Quaresma. É celebrado durante três dias antes da quarta feira de cinzas, que é dia em que começa a Quaresma no calendário cristão [1].
De acordo com Alcides Mareja Moreno a palavra aparece pela primeira vez no dicionário de Antonio de Nebrija, publicado em 1492 e tem origem em uma frase atribuída a Gregório Magno (século VI) para se referir ao domingo anterior à Quaresma: “dominicas ad carnes levandas”. Daí surgem as palavras carnelevarum, carnevale e carnelevare [2].

A carne, neste caso, nada tem a ver com a carnalidade no sentido paulino. No carnaval as pessoas aproveitavam para comer carne antes que sua ingestão fosse proibida. Como em toda as festas (inclusive o Natal) os excessos eram (e são) comuns.

Notas:
[1] BOBES, Jesús Maire. Teatro breve de la Edad Media y del siglo de oro. Madrid: Ediciones Akal, 2003, p. 29.
[2] MORENO. Alcides Marejas. El carnaval cruceno a través del tiempo. Casilla: Editorial La Hoguera, 1999, p. 14.