sábado, 10 de setembro de 2011

SETEMBRO NEGRO?

O setembro de 2011 promete fortes emoções vindas do Oriente Médio. A relação entre Israel e Turquia vem sendo desgastada desde que a ONU declarou que as tropas israelenses excederam-se na força empregada para impedir que uma flotilha com bandeira turca chegasse a Gaza com mantimentos em 2010. Nove cidadãos turcos morreram sob o fogo das tropas israelenses e a Turquia, sentindo-se ofendida, exigiu um pedido de desculpas ao governo de Israel. Como tal pedido não veio, o embaixador de Israel na Turquia foi expulso no dia 02 de setembro.  

No mês passado (18-08-11) policiais e soldados egípcios foram mortos por engano por tropas israelenses durante uma ação contra terroristas na fronteira entre os dois países. Manifestantes egípcios, levados pelo espírito da primavera árabe, invadiram a embaixada israelense, retiraram a bandeira de Israel e a substituíram por uma egípcia. O Egito, primeira nação árabe a ter assinado uma tratado de paz com Israel, percebeu o perigo que corriam os funcionários da embaixada e construiu um muro de proteção ao seu redor. Mas essa medida não impediu o pior: manifestantes invadiram novamente a embaixada e o diplomata israelense foi obrigado a abandoná-la. 

No dia 20 próximo Israel terá que lidar com outro problema: a votação no Conselho de Segurança da ONU por um Estado palestino. Israel diz que quer negociar (e impedir que o assunto seja decidido na ONU), mas não aceita parar com os assentamentos em território palestino e nem as fronteiras de 1967. Difícil negociar assim. 

Se a diplomacia israelense continuar com essa política, a imagem de Israel no mundo tende a ficar cada vez pior. Bem, mas se a diplomacia de Israel se mostra incompetente, jornais ocidentais certamente farão um "bom trabalho" ao ocultar, distorcer e inventar fatos que favoreçam Israel, a "menina dos olhos" dos Estados Unidos. E assim tudo voltará a ser como dantes no quartel de Abrantes...




Jones F. Mendonça