quinta-feira, 30 de novembro de 2017

SUBTERRÂNEOS TENEBROSOS


Para responder à pergunta: “para onde foram os justos do Antigo Testamento?”, os teólogos católicos desenvolveram a ideia do limbo, lugar provisório para onde teriam ido, por exemplo, os patriarcas .  

Nesta tela, de Andrea Mantegna (1470-75), Cristo é retratado resgatando alguns indivíduos do limbo. No canto esquerdo, próximo à abertura da caverna, aparecem Adão e Eva. A crença no limbo dos patriarcas (limbus patrum) é um dogma entre os católicos. O limbo infantil (limbus puerorum), por outro lado, vigorou por muito tempo como hipótese teológica até que foi definitivamente rejeitado em 2007 no pontificado de Bento XVI.

Pessoalmente considero as imagens retratando a ida de Cristo ao mundo subterrâneo como as mais poderosas sob a perspectiva psicológica. Um exemplar particularmente interessante e belo é “A descida ao inferno” (1568), produzida por Tintoretto. Neste trabalho, cuja cena é apresentada numa perspectiva enviesada, Cristo ilumina o Hades, antes completamente tomado pelas trevas.


Jones F. Mendonça