sexta-feira, 30 de outubro de 2015

REFORMA E ARTE CRISTÃ

A relação dos primeiros reformadores com obras de arte religiosa não foi boa. Para Karlstadt os “ídolos de óleo” seriam “invenção do demônio”. Zwinglio, querendo purificar as igrejas, baniu delas os órgãos e os corais. Lutero teve uma posição mais cautelosa: 
Os homens podem sucumbir diante do vinho e das mulheres. Vamos então proibir vinho e abolir as mulheres? O sol, a lua e as estrelas foram adorados. Vamos então arrancá-los do céu?.
Reconhecendo o valor didático das imagens, Lutero encomendou esta tela (“Lei e graça”) a seu amigo Lucas Cranach, em 1529:



Jones F. Mendonça