sexta-feira, 16 de outubro de 2015

JOHN WYCLIF: SEXO, RELIGIÃO E POLÍTICA

No século XIV, diante do desejo de não mais recolher tributos ao papa, um teólogo inglês chamado John Wyclif foi contratado pelo rei João de Gante como “peculiares regis clericus” (clérico a serviço especial do rei) a fim de preparar uma defesa contra o envio dos tributos. Com muita astúcia, Wyclif saiu-se com essa: 
O papa não pode pedir este tesouro a não ser por meio de esmolas... Uma vez que toda a caridade principia em casa, seria obra não de caridade, e sim de loucura canalizar as esmolas do reino para o exterior [nessa época o papa residia na França, inimiga da Inglaterra] quando o próprio reino está necessitado delas.
Vendo-se sem saída diante da recusa da Igreja em atender ao pedido, Wyclif recomendou a independência da Inglaterra. Sua proposta soou tão escandalosa à época que os conselheiros do rei recomendaram que não mais fizesse declarações sobre o assunto. Mas as sementes de suas ideias brotaram e fincaram raízes.

Cerca de duzentos anos depois, aproveitando-se do êxito da reforma de Lutero, um rei  levou a cabo a proposta de Wycliff. Henrique VIII confiscou os bens da igreja, casou-se de novo (ignorando recomendações do papa) e criou seu próprio clero. E foi assim que nasceu a igreja anglicana.



Jones F. Mendonça