terça-feira, 6 de outubro de 2015

PIA DESIDERIA, DESIDERIA CARNIS

Passa da terceira hora e os santos de Jerusalém descem a Jericó. No caminho, ferido ao chão, jaz um viajante estrangeiro sírio-fenício fugindo da calamidade que assola sua terra. Um estimado sacerdote, guardião da moral e dos bons costumes, passa ao longe e resmunga com desdém: “Escória da sociedade! Que a salvação e o divino auxílio escondam de ti o rosto”.

Em seguida, assobiando deslumbrante canção e exibindo alvas vestes, surge um levita servidor do templo. Ao confundir o agonizante estrangeiro com um assaltante do deserto, o levita profere esta atroz maldição inspirada no Deuteronômio: “Deus te fira com a loucura, a cegueira e a demência. Que a desgraça te alcance como espetáculos aos teus olhos” (Dt 28,28.34). E finaliza: “bandoleiro bom é bandoleiro morto”.

Parece uma história de 2000 anos, mas foi ontem, é hoje, será amanhã. Sempre em nome da santa piedade e dos mais elevados valores da religião. 



Jones F. Mendonça