segunda-feira, 25 de abril de 2011

CARTAZES RACISTAS EM JERUSALÉM

Imagem: Haaretz
Todo mundo já ouviu falar dos radicais islâmicos. Eles são descritos como pessoas más, sujas, incovenientes. Mas poucos ouvem falar dos radicais judeus. Em bairros ultra ortodoxos de Jerusalém surgiram cartazes com a pergunta: "Você quer que seu neto seja chamado Ahmed ben Sarah [Ahmed filho de Sara, esposa do patriarca Abraão]"?  O objetivo dos cartazes é evitar que os lojistas contratem funcionários árabes. Afinal eles podem seduzir as mulheres judias, que mais tarde poderão dar à luz uma criança mestiça(!!??). 

Bentzi Gupstein, membro de um grupo anti-assimilação (esse termo parece coisa de filme de ficção científica) se mostra preocupado:
Há apenas duas semanas atrás uma mulher judia em Jerusalém trabalhando em um ramo de Shefa Shuk [rede de lojas especializadas em alimentos que cumprem normas religiosas de alguns judeus] em Jerusalém deixou uma casa em Haredi e passou a viver com um funcionário árabe que ela conheceu na loja. 
Está duvidando desta notícia? Leia aqui no Haaretz (com tradução do Google.