quarta-feira, 24 de junho de 2015

O LUXO DO CLERO E O CRISTO CRUCIFICADO

Até o final do século XII são raras as telas representando o Cristo crucificado com ênfase em seu sofrimento. A partir daí há uma verdadeira explosão de imagens expondo Cristo como homem de dores. Essa mudança coincide com o surgimento de ordens religiosas mendicantes (fiéis à Igreja) e de grupos dissidentes como os cátaros e valdenses (perseguidos pela Inquisição). Os dois grupos têm algo em comum: uma crítica ferrenha à ostentação do clero e seu distanciamento da simplicidade da igreja apostólica. A imagem do Cristo crucificado, exposto à ignomínia, é um reflexo desse momento histórico vivido pela cristandade. Abaixo uma tela de Bonaventura Berlinghieri (1260-70).



Jones F. Mendonça