quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

PARA COMPREENDER O CRISTIANISMO PRIMITIVO [LIVROS]


Dando continuidade à indicação de livros que considero valiosos para a compreensão do chamado “mundo bíblico” (Antigo e Novo Testamento) e do cristianismo primitivo, segue abaixo um breve comentário sobre o seguinte livro:

JAEGER, Werner. Cristianismo primitivo y paideia griega. México, DF, Fundo de Cultura Económica del México, 1985, 151 páginas.

A tese do autor: sem a expansão da cultura grega, promovida pelas conquistas de Alexandre Magno, o cristianismo não teria se tornado uma religião universal. As controvérsias dos séculos II e III entre homens de cultura formados na tradição clássica (tais como Tácito, Marco Aurélio, Galeno e Celso) e cristãos também são discutidas pelo autor. Para finalizar, Jeager discute a síntese do pensamento grego e cristão, bem expresso nas obras de Basílio de Cesareia, Gregorio Nasiaceno e Gregório de Nisa. A morte do autor impediu que seu trabalho fosse concluído, por isso o livreto tem sido considerado (apenas?) um esboço. Eis alguns pontos apresentados pelo autor na introdução da obra:
  • O cristianismo era um movimento judeu, mas tanto os judeus da diáspora quanto os da Palestina estavam helenizados;
  • Foram justamente os “helenistas” de Jerusalém que deram maior impulso à atividade missionária na Palestina;
  • O grego era falado em todas as synagogai das cidades mediterrâneas;
  • Paulo discursava aos judeus em grego com todas as sutilizas da lógica grega;
  • O Antigo testamento era citado segundo a tradução grega dos Setenta (Septuaginta);
  • A expressão “roda da criação” (cf. Tg 3,6) empregada por Tiago tem origem na religião órfica;
  • O livro de Atos apresenta Paulo citando poetas gregos em seu discurso no areópago;
Aqueles que quiserem se aprofundar no tema “Paideia grega” devem ler outra obra do mesmo autor: “Paideia: a formação do homem grego”, publicado pela editora Martins Fontes. 


Jones F. Mendonça