quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

ELOCUBRAÇÕES SOBRE O DIVINO

De onde veio o mal, perguntaram-se os primeiros teólogos.  Então...

Os maniqueístas: duas divindades supremas presidem o universo. O mal tem caráter metafísico e ontológico.  Os seres do universo surgiram a partir da luta entre os dois princípios (Luz/alma/bem – Trevas/corpo/mal). Deus deixa de ser responsabilizado pelo mal. O homem também não é responsável pelo mal que faz (o mal é inerente à natureza corpórea).

Plotino: o mal está na matéria, extremo limite do Uno no processo de emanação. O mal é degradação da perfeição, apesar disso é necessário, pois expressa a multiplicidade das essências. O homem é, como Ulisses, um ser desejoso de voltar à pátria. O mal tem caráter ontológico-estético-natural.

Agostinho: O mal não é um ser, mas deficiência e privação de ser. O mal moral é produto da vontade má. O mal físico é conseqüência do pecado original, ou seja, é conseqüência do mal moral.

É, isso cansa. 


Jones F. Mendonça