terça-feira, 18 de outubro de 2011

QUEM PESA MAIS, UM SOLDADO OU UM TERRORISTA?

Charge: J Post
Nesta semana Israel trocou 1027 prisioneiros palestinos por um militar israelense capturado em 2006. Foi uma negociação longa, cansativa, desgastante. Depois de uma série de ações catastróficas, tais como a morte de policiais egípcios confundidos com terroristas e de cidadãos turcos numa desastrada operação que visava impedir uma embarcação de chegar a Gaza, Israel finalmente acertou. Gilad está feliz. A família de Gilad está feliz. O povo israelense está feliz. Gaza está feliz. Só a direita israelense está zangada. Bando de mal humorados. 

O jornal israelense J Post (um jornal de direita) publicou uma charge ironizando o episódio. Gilad, num dos pratos de uma balança, tem o mesmo peso que algumas centenas de terroristas. Fiquei pensando: quem vale mais, um terrorista ou um soldado? O primeiro mata com o aval de um Estado reconhecido internacionalmente. O segundo atua na marginalidade, no submundo do contrabando internacional de armas. O primeiro possui equipamento sofisticado, mata com elegância. O segundo tira vidas com bombas caseiras, não usa uniforme e não possui patente. Um bruto. 

É preciso não se deixar levar pelo impulso da mídia. Soldados são sempre soldados. Com ou sem barba. Com ou sem patente. Com ou sem fuzil. Com ou sem reconhecimento internacional. Soldados não são bons ou maus. Soldados são apenas soldados...

Jones F. Mendonça