terça-feira, 4 de outubro de 2011

A BOA ESPOSA SEGUNDO CALVINO

O rompimento definitivo de Calvino com a Igreja católica se deu quando ele retornou a Noyon, sua cidade natal, e renunciou aos benefícios eclesiásticos que tinha desde os 12 anos de idade. Já fora da França, em 1538, por causa de perseguição imposta pelo rei Francisco I, Calvino decidiu arrumar uma esposa e pôr fim à vida celibatária. Pediu a Farel e Bucer que lhe arrumassem uma mulher. A recomendação foi esta: 
Não sou daqueles amantes loucos que, ao ficarem fascinados pelo belo corpo de uma mulher, aceitam também seus defeitos. Eis apenas um tipo de beleza que me seduz – que ela seja casta, prestimosa (não fastidiosa), econômica, paciente e que zele pela minha saúde"[1]. 
Quanta piedade...


Nota:
[1] DURANT, Will. A Reforma, p. 392. 


Jones F. Mendonça