quarta-feira, 7 de junho de 2017

ZÉ BOBINHO, LUTERO E O PAPA

Zé Bobinho, empolgado com os 500 anos da Reforma e desejando polemizar contra os católicos, dispara a seguinte tese de Lutero contra as indulgências: 
Por que o papa, cuja fortuna hoje é maior que as dos mais ricos Crassos, não constrói com seu próprio dinheiro a Basílica de São Pedro, ao invés de fazê-lo com o dinheiro dos pobres? (Tese 86).
Bobinho imagina, em sua leitura apressada, que Lutero está criticando o papa. Mas é preciso ler a tese em seu contexto.

A Tese 81 explica que perguntas como estas, “perspicazes”, com teor “calunioso” e que “ofendem a dignidade do papa”, são feitas por leigos, enganados pelos gananciosos e mal intencionados pregadores de indulgências.

Enfim, Lutero está dizendo que, por culpa dos pregadores de indulgências, o papa está sendo caluniado com acusações falsas, tais como aquela que ele relata na tese 86.

Críticas ao papa só começam após da reação negativa da cúria romana às suas teses. Leia as 95 teses de Lutero aqui (a partir da pg. 22). 



Jones F. Mendonça