terça-feira, 27 de junho de 2017

REFORMA, POLÍTICA E PODER

Talvez seja algo decepcionante para você, mas ninguém sabe ao certo se Lutero afixou mesmo suas 95 teses na porta da igreja de Wittemberg. E mais: As teses foram escritas em latim, idioma pouco conhecido da maior parte dos alemães do século XVI. São românticas as imagens mostrando um Lutero irado pregando teses incendiárias na porta da igreja de Wittemberg diante de um público inflamado.

Certo mesmo é que as teses foram enviadas a Roma e acabaram nas mãos do teólogo papal Silvestre Mazzolini. Mazzolini, que era dominicano, viu as teses como um ataque à teologia tomista-escolática, tão querida dos dominicanos e desprezada por agostinianos como Lutero. Não sabe o que é uma teologia tomista-escolástica?

Os dominicanos escolásticos acreditavam ser possível expor os dogmas de fé - como o “mistério da trindade” - usando a lógica aristotélica. Lutero detestava isso. Em sua tese 49, dirigida aos escolásticos (escritas ANTES das famosas 95 teses), o monge agostiniano dá as razões de seu descontentamento: 
Se uma fórmula silogística [amplamente empregada pelos escolásticos] subsistisse em questões divinas, o artigo sobre a Trindade seria conhecido, em vez de ser crido.
Trocando em miúdos: o estopim da Reforma está na disputa entre dominicanos e agostinianos. Os príncipes alemães, ávidos pela tomada das terras da igreja, aproveitaram-se da situação. E só então a Reforma de fato aconteceu.



Jones F. Mendonça