sábado, 28 de março de 2015

ZÉ DIREITINHO E ARISTÓTELES

 “Todos são iguais perante a lei sem distinção de qualquer natureza”, reza nossa Constituição (art. 5º). Zé Direitinho não perde tempo: “então o sistema de cotas é inconstitucional, uma vez que privilegia certa classe social e/ou racial”. Mas o que Zé Direitinho não sabe é que desde Aristóteles a justiça comporta dois modos de proceder: 1) O tratamento desigual dispensado aos desiguais; 2) a busca pela definição de onde e quando o tratamento desigual de desiguais é justo.

Tá, é até possível que surjam opiniões diferentes quanto ao “onde” e ao “quando” o tratamento desigual de desiguais deve ser dado. Mas ignorar esse princípio revela uma definição caduca de justiça.



Jones F. Mendonça