terça-feira, 28 de janeiro de 2014

GÊNESIS NO MAPA (CAP 12-47)

Clique para ampliar (resolução: 1437x1017)

Anotações:
1) Ur, no início do segundo milênio é “Ur dos sumérios” e não “dos caldeus” (um anacronismo do redator).

2) A terra da qual Abraão saiu, em Gn 21,34, não podia ser “dos filisteus” (outro anacronismo do redator), pois eles só chegaram à costa Oriental do Mediterrâneo por volta de 1200 a.C. (ver também Gn 12,6 e 26,8).

3) O relato destaca a construção de altares em Siquém, Betel, Hebron e Moriá provavelmente para atribuir aos patriarcas antigos altares cananeus ou para dar um caráter sagrado a santuários anteriormente profanos. 

4) O artifício utilizado por Abraão para ocultar do Faraó sua relação marital com Sara, em 12,13, reaparece em 20,2 (agora com o rei de Gerar, Abimeleque). Isaque também oculta do mesmo Abimeleque, “rei dos filisteus” (mais um anacronismo), em Gerar, que Rebeca é sua mulher em Gn 26,7. A repetição da história com detalhes tão semelhantes inquieta o leitor mais atento, que logo percebe que o tríplice relato consiste em versões diferentes do mesmo acontecimento ou tradição popular. 



Jones F. Mendonça