quarta-feira, 23 de novembro de 2011

EDITH PIAF: NON, JE NE REGRETTE RIEN


Cena arrebatadora do filme francês, "Piaf, um hino ao amor". A canção está entre as dez mais belas na opinião do físico teórico Stephen Hawking (e na minha também). A singular voz de Edith Piaf, com a mesma canção, também encerra outro filme francês de tirar o fôlego: "Os sonhadores", de Bernardo Bertolucci. A letra reflete o estado de espírito da cantora: 

Não! Nada de nada...
Não! Eu não lamento nada...
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal - isso tudo me é igual!

Não, nada de nada...
Não! Eu não lamento nada...
Está pago, varrido, esquecido
Não me importa o passado! (2)

Com minhas lembranças
Acendi o fogo (3)
Minhas mágoas, meus prazeres
Não preciso mais deles!

Varridos os amores
E todos os seus "tremolos" (4)
Varridos para sempre
Recomeço do zero.

Não! Nada de nada...
Não! Não lamento nada...!
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal, isso tudo me é bem igual!

Não! Nada de nada...
Não! Não lamento nada...
Pois, minha vida, pois, minhas alegrias
Hoje, começam com você!
Começa com você.