domingo, 20 de fevereiro de 2011

NIETZSCHE, O FUNÂMBULO E O INFINITO

Pensei numa frase que pudesse expressar o que é a vida no pensamento de Nietzsche. Me saí com isso:
"A vida é uma corda estendida sobre o abismo sem fim; nós, os funâmbulos." 
Eu acrescentaria que a corda é circular e que o funâmbulo morre e ressuscita a cada queda. Ah, mais um pequeno detalhe, alguns funâmbulos acreditam que a corda na verdade descreve uma reta em cujo final há um belo jardim (para Nietzsche, mera ilusão...). 

M. C. Escher, Répteis (1943)
A imagem acima, que eu escolhi para ilustrar o eterno retorno nitzschiano,  é obra do artista holandês M. C. Escher. O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro está hospedando a exposição "O mundo mágico de Escher", onde 95 de suas gravuras podem ser apreciadas. A entrada é franca e vai até o dia 27 de março. Eu não vou perder essa!

Site oficial de M. C. Escher aqui.