sexta-feira, 10 de junho de 2016

O COLAPSO NO MEDITERRÂNEO E OS FILISTEUS

Desenho de Emmanuel Rouge feito a partir de um mural no templo
mortuário de Ramsés III

A combinação de uma série de fatores, tais como pragas, terremotos e mudanças climáticas resultou no colapso das civilizações do século XII a.C. que se desenvolveram ao norte e ao leste do Mediterrâneo. Um outro fator foi a invasão dos chamados “povos do mar”, dentre os quais os filisteus, frequentemente citados na Bíblia. No túmulo do faraó Ramsés III foi gravado um dramático registro da chegada dos invasores:  
Os setentrionais em suas ilhas estavam em dificuldade e se moveram em massa, todos ao mesmo tempo. Ninguém resistiu perante eles [...]. A força deles era constituída de filisteus, de Zeker, de Shekelesh, de Danuna e de Weshesh, países que se uniram para pôr a mão no Egito, até o último confim. Os ânimos deles eram de confiança, cheios de projetos (BREASTED, J. H. Ancients records of Egypt, IV 64 = ANET, p. 262).
Mas de onde vieram os filisteus? A teoria mais difundida ligava esse povo às ilhas do mar Egeu. Mas recentes descobertas apontam em outra direção: o sul da Anatólia (atual Turquia). Leia no Haaretz.



Jones F. Mendonça