quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

ARJUNA NA TERRA DE MANIQUEU

Arjuna foi convidado a discursar na terra de Maniqueu. Esqueceu-se de que lá tudo é preto ou branco, duro ou mole, alto ou baixo. Tentou explicar o que era o cinza: Pow! Um soco no olho. Quis dizer que há substâncias nem tão duras e não tão moles: Paf! Um pescotapa. Meio tonto esforçou-se, trêmulo, a dar exemplos de coisas médias, nem tão altas e nem tão baixas: Pá! Um tiro no peito. Pobre Arjuna. Morreu incompreendido nesse mundo bidimensional, bipolar e doentio de Maniqueu.



Jones F. Mendonça