segunda-feira, 12 de agosto de 2013

SEJA BÍBLICO, SEJA TRADIÇÃO![?]

Dica para encontrar o verdadeiro sentido das Escrituras segundo um escritor cristão: compare as versões e seja bíblico! Hummm, será?

O primeiro problema está na comparação entre as versões. Ora, comparar versões em busca da melhor tradução é como buscar a mais fiel reprodução artística de um rosto por meio da comparação entre as telas. O mais óbvio não seria comparar as reproduções com o rosto real? No caso do texto, seria preciso conhecer o “rosto original” (texto original, o autógrafo). Vale lembrar que neste caso não existe um “rosto original”, mas “cópias embaçadas do rosto original”. Tal tarefa, como se vê, é bem mais árdua.

O segundo problema está no imperativo “seja bíblico”. Ora, se o que o leitor está buscando é exatamente o sentido do texto bíblico, como ele poderá assumir uma postura bíblica antes mesmo de ter acesso ao texto?  Um argumento circular ingênuo. 

Os católicos ao menos são honestos. Sabem (e admitem) que no final das contas quem manda é a tradição. 


Jones F. Mendonça