quinta-feira, 9 de julho de 2020

A BÍBLIA COMO ELA É: INTRIGAS NA CORTE DO REI DAVI

1. O primeiro livro de Reis descreve uma grande trama política sendo armada no final da vida de Davi. Adonias, o herdeiro legítimo na ordem de sucessão, tentou costurar apoio político, mas só conseguiu trazer para seu lado o general Joabe e e Abiatar o sacerdote. Sim, foi pouco. 

2. Salomão, o filho mais novo, recebeu apoio do sacerdote Zadoque, do profeta Natã, de Simei (homem influente na corte), de Benaia (chefe da guarda real) e toda guarda pessoal de Davi. O texto sugere Natã como grande arquiteto dessa aliança. 

3. Mas o apoio mais importante de Salomão veio Bat-sheba, sua mãe. Foi ela, seguindo conselho do profeta Natã, quem convenceu Davi a tomar uma atitude. Disse mais ou menos assim ao rei: “se Adonias assumir o trono, eu e Salomão estaremos fritos!” (1Rs 1,21). Mas ela queria deixar o rei realmente assustado.

4. Então contou a Davi que Adonias armara um baita “churrasco” na tentativa de conquistar apoio para sua ascensão ao trono. Davi, mesmo velho e impotente sexualmente, “bateu na mesa” e tomou uma decisão: “tragam uma mula, levem Salomão a Giom e façam com que Zadoc e Natã o unjam rei” (1,33-34). Não devemos subestimar um rei no limite de suas forças. 

5. Quando soube que Salomão havia sido ungido rei, Adonias e seus aliados entraram em pânico. Sentiram cheiro de sangue. Adonias até tentou se casar com Abisag, a “enfermeira” virgem e formosa do harém de Davi, mas o plano deu errado. Salomão percebeu suas intenções e encarregou Benaías do serviço: Adonias morreu em 2,25. Mas e os demais traidores?

6. Antes de morrer Davi deu algumas orientações a Salomão: elimine Joabe: não é confiável (2,5); dê um sumiço em Simei: sujeito traiçoeiro (2,8). Os dois acabaram assassinados pela mão do mesmo Benaías, agora elevado ao posto de chefe do exército (2,34; 2,46). Salomão deu ao traidor sacerdote Abiatar um destino menos trágico: o exílio (2,26).

7. O último verso do capítulo 2 encerra a rede de intrigas: “E a realeza então consolidou-se nas mãos de Salomão”. E a paz voltou a reinar no palácio. 




Jones F. Mendonça

Nenhum comentário:

Postar um comentário