sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O IRÃ E O SEXO

No Irã as relações homossexuais são passíveis de castigo físico ou execução. De acordo com levantamento feito por grupos gays, 120 pessoas foram executadas desde 1979 sob pretextos variados.

Curioso é que esse mesmo Irã é o segundo país do mundo com maior número de cirurgias de mudança de sexo. A explicação: transexuais são vistos como heterossexuais vítimas de uma doença curável pela cirurgia.

Quem consegue provar às autoridades ter nascido no “corpo errado”, mediante certificado médico e psicológico, ganha permissão para trocar de sexo. A prática começou em 1984, quando o Aiatolá Khomeini emitiu decreto tornando o procedimento lícito.

Ao ser questionado por um estudante em 2007 sobre o fato de a homossexualidade ser passível de pena de morte pela lei iraniana, Ahmadinejad respondeu: “No Irã não temos homossexuais. [...] Não sei quem lhe contou que temos” (a fala de Ahmadinejad e uma abordagem mais ampla do assunto pode ser lida em "Os iranianos, de Samy Adghirni).



Jones F. Mendonça