terça-feira, 8 de dezembro de 2009

UM BELO POEMA...

APOCALIPSE MÍNIMO

Bem-aventurado quem lê e ouve as palavras desta alegria

Porque o tempo está próximo.

Ouvi por detrás de mim uma pequena voz como de assovio,

e que dizia:

o que vês, e ouves, escreve-o em uma melodia e envia-o.

E eu vi um gafanhoto que dizia

que todas as coisas grandes serão substituídas

por todas as coisas pequenas:

O infinito pelo grão;

A eternidade, por um triz;

A piedade, pelas coisas;

A verdade, pelas palavras;

O amor, pela graça;

O pecado, pelo capricho;

A história, pela gesta;

A certeza, pelo sim

Eu sou o que é, o que era e o que há de vir: a letra e o

som, a colméia e a teia, a brecha e a raiz [1].

[1] JAFFE, Noemi. Todas as coisas pequenas. São Paulo: Hedra, 2005.