terça-feira, 8 de dezembro de 2009

ISRAEL: FRASE CONTRA OS CRISTÃOS

Jerusalém, 14 dez (RV) – Uma frase em hebraico, com as palavras “Morte aos cristãos” apareceu nos dias passados próximo ao Cenáculo, um dos lugares santos mais preciosos para a cristandade. O gesto foi feito enquanto no Vaticano se realizava a Plenária da Comissão bilateral permanente de trabalho entre a Santa Sé e o Estado de Israel.

A escrita, feita com tinta preta apareceu ao longo do muro da
Basílica da Dormição, no Monte Sião, a poucos metros do lugar onde os cristãos recordam a instituição da eucaristia e o nascimento da Igreja no dia de Pentecostes. A frase foi imediatamente apagada para não aumentar as tensões entre cristãos e judeus.

Fontes eclesiásticas afirmam que os autores seriam
jovens judeus nacionalistas, membros de alguma escola rabínica. Não é a primeira vez que esses jovens encontram um modo para ofender a presença dos cristãos e os lugares santos naquela área. Frequentemente, diante da porta da Igreja do Cenáculo, conservada pelos franciscanos, esses grupos fazem as suas necessidades fisiológicas em desprezo pelo lugar; em outras ocasiões eles cospem contra sacerdotes ou religiosas que passam por ali.

A Igreja do Cenáculo não é o Cenáculo original onde Jesus instituiu a eucaristia. Este lugar santo é agora
propriedade do governo de Israel, apesar de que já no século 14 pertencia à Custódia franciscana da Terra Santa. No século 16 os otomanos expulsaram os franciscanos, que, porém nunca renunciaram ao seu direito de propriedade.


O episódio da escrita ocorreu precisamente enquanto no Vaticano se discutia sobre o retorno do Cenáculo e de outros lugares santos à Igreja Católica. A esse propósito, Daniel Ayalon, vice-ministro do Exterior e chefe da delegação israelense, antes e depois do encontro declarou que “Israel não renunciará à propriedade do lugar da Última Ceia ou de outros lugares santos sob a sua direta soberania”. (SP)