sexta-feira, 9 de outubro de 2009

“TEOLOGIA DA ENXADA” COMPLETA 40 ANOS

João Pessoa, 09 out (RV) - Começa hoje, e se encerra segunda-feira, dia 12, no Centro de Formação Missionária (CFM), localizado em Serra Redonda, interior do estado da Paraíba (Nordeste do Brasil), o seminário “Teologia da Enxada - 40 anos”. O objetivo è rememorar essa experiência teológica popular e pensar nas perspectivas do movimento.


Segundo o teólogo
José Batista, um dos fundadores da Teologia da Enxada, “comemorar seus 40 anos significa dar um aceno para a Igreja e para a sociedade no sentido de alertar para a importância do protagonismo dos pobres e dos excluídos na caminhada da Igreja”.


O seminário terá a presença do arcebispo emérito da Paraíba,
Dom José Maria Pires, do teólogo e escritor Pe. José Comblin, o também teólogo e biblista Frei Carlos Mesters, e outras 200 pessoas ligadas à história da Teologia da Enxada.

Nos três dias de evento, haverá oficinas temáticas, plenárias, análise da caminhada realizada durante estes 40 anos, visita a Salgado de
São Félix, local da primeira experiência da Teologia da Enxada, cursos e celebrações eucarísticas, além de apresentações culturais. O Seminário será encerrado com uma Celebração Eucarística de Memória e Ação de Graças, no Município de Salgado de São Felix (PB), local da primeira experiência.


O movimento
nasceu em 1969, quando um grupo de 10 estudantes de Teologia decidiu ensinar e estudar a teologia de maneira nova, por meio de diálogos com os agricultores e as famílias camponesas. Durante três anos, os jovens viveram no interior e se dedicaram ao trabalho no campo e ao estudo da teologia. A partir dessa experiência, nasceu a Teologia da Enxada.


“Queríamos entender as aspirações populares; o diálogo é base fundamental da Teologia da Enxada. Nosso intuito era transmitir a Teologia de forma adequada. Era uma maneira de devolver o que estudávamos”, explica João Batista.

As informações são da agência Adital. (CM)

Fonte: Rádio Vaticano