quarta-feira, 28 de outubro de 2009

RABINO ISRAELENSE ACUSADO DE EDUCAR CRIANÇAS COM MÉTODOS CRUÉIS EM SP SERÁ EXTRADITADO

SÃO PAULO - Está prevista para esta terça-feira a extradição do rabino israelense Elior Niam Hen, preso em São Paulo há um ano e quatro meses, acusado de liderar uma seita religiosa que utiliza métodos cruéis para educar crianças.
Hen, que foi detido pela Polícia Federal em maio do ano passado, em sua casa, no Bom Retiro, pretendia fixar moradia na capital, segundo informações da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal).


Por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), o religioso embarcará no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, com destino a Jerusalém, onde será entregue às autoridades.


O advogado do religioso, Daniel Garçom, diz que Hen “é uma pessoa de bem, um religioso”, que alega inocência frente às acusações.


- Ele não foi condenado por crime nenhum em Israel e pediu refúgio ao Brasil, o que lhe foi negado - afirma Garçom.


Segundo as autoridades israelenses, o rabino torturava crianças para expulsar os demônios do corpo. O rabino, conforme o advogado, está com medo de retornar a Israel.


- Lá ele é perseguido, criticado pela imprensa.


O rabino está detido uma cela na sede da PF em São Paulo e recebe a visita de membros da comunidade judaica ortodoxa e do advogado. A mulher e seus quatro filhos moram na Bélgica.


Segundo o advogado, Hen fugiu para o Brasil em março de 2008, quando foi acusado de tortura em Israel.


- Ele foi orientado por religiosos, no Canadá, a vir para o Brasil, onde há respeito às mais diversas culturas, religiões e cores. Até disseram para ele que o presidente do país havia sido perseguido pela ditadura militar - acrescenta Garçom.

Fonte: O Globo/Notícias Cristãs