terça-feira, 22 de setembro de 2009

O QUE É MITO?

Por Jones Mendonça


Roy Willis explica que mitos são “histórias anônimas que buscam explicar as origens do mundo, incluindo a sociedade e a cultura humana[1]. Quem se debruça sobre os mitos mundiais percebe as semelhanças impressionantes que há entre eles. Mas como surgem os mitos? Para Carl Jungos mitos são manifestações psíquicas que representam a essência da alma[2]. Ele destaca que os mitos simplesmente acontecem; o homem não os inventa, ele os vivencia. Para Jung o homem recebe, não apenas por tradição ou migração, mas também por hereditariedade, formas ou imagens de natureza coletiva, que ele chama de arquétipos. Estes são partes constituintes do mito. Isso explica a ocorrência de alguns temas comuns entre diferentes mitos, apesar de terem surgido em partes distintas do globo, sem que os seus transmissores tenham tido contato entre si.


Quando Jung ou outros estudiosos de sua escola se referem ao relato bíblico da criação como mito, por exemplo, não querem com isso dizer que ele não deve ser levado a sério ou que foi mera invenção dos hebreus. Jung fez várias críticas à mentalidade racionalista moderna, incapaz de vivenciar e compreender a importância do mito.


Outro estudioso importante dos mitos é Joseph Campbell. George Lucas foi fortemente influenciado pelas idéias de Campbell na criação de sua famosa trilogia “Guerra nas Estrelas”. O sucesso do filme, segundo George Lucas, não se deve apenas aos efeitos especiais inovadores, mas à capacidade que o filme teve em atualizar mitos mundiais através da presença de arquétipos antiguíssimos, tais como o herói (Luke Skywalker), o Mentor ou velho sábio (Obi-Wan-Kanobi), o camaleão (Han Solo), a sombra (Darth Vader), etc.


Uma boa pedida é assistir ao documentárioO poder do mito”, composto por entrevistas feitas pelo jornalista Bill Moyers à Joseph Campbell e George Lucas. Outras obras bem conhecidas de Campbell são “O herói de mil faces” e “As máscaras de Deus”.


Notas:

[1] WILLIS, Roy (org.). Mitologias: deuses, heróis e xamãs nas tradições e lendas de todo o mundo, 2007, p.13.

[2] HARK, Helmut. Léxico dos conceitos junguianos fundamentais, 2000, p.84.

Crédito da imagem:

Giovanni di Paolo
A Criação e a expulsão do Paraíso (detalhe)
c. 1445
Têmpera e ouro sobre madeira
Metropolitan Museum of Art, Nova York