segunda-feira, 27 de julho de 2009

O QUE É IGREJA?

Por Jones Mendonça

Do grego ekklesia. Etimologicamente significa “alguém que é chamado para fora”. Ekklesia, nesse sentido, designava uma convocação de homens para a guerra. No entanto, nem sempre a origem etimológica de uma palavra nos revela seu real significado. É o que ocorre, por exemplo, com a palavra “hipopótamo” (cavalo de rio). Como na nossa língua, determinados termos gregos iam adquirindo novos significados ao longo dos anos. Muitos livros evangélicos afirmam de forma simplista que o sentido original de igreja é “ser chamado para fora”, querendo com isso destacar seu caráter evangelizador. Apesar de reconhecer que a igreja realmente precisa ser chamada para fora, no mundo greco-romano do tempo de Jesus o termo Ekklesia havia adquirido um novo sentido.

Luiz Roberto dos Santos nos diz que: “No florescer da civilização grega, a partir o século V a.C., ekklesia passou a representar a convocação de cidadãos efetivos de uma cidade (polis) para reuniões populares[1]. Essas reuniões serviam para anunciar oficialmente as notícias do Império, da cidade ou apresentar problemas de cunho administrativo e político. As ekklesias, nessa época, tinham como propósito resolver, discutir ou anunciar questões relacionadas à vida de todos os indivíduos de uma comunidade local.

Sobre o uso religioso da palavra ekklesia, Luiz Roberto dos Santos nos diz que no mundo grego-romano “a palavra ekklesia raramente era usada para as reuniões religiosas, mas somente para as assembléias politicamente organizadas[2]. O Novo Testamento registra um exemplo do rigor e ordem das ekklesias romanas (At 19.32,39,41).

Na Septuaginta (versão grega do A.T.), a palavra ekklesia traduz a palavra hebraica Qahal, que designava a congregação de Israel, uma nova comunidade teocrática convocada do cativeiro para adorar e servir a Iahweh e demonstrar seu senhorio em meio dos povos (Nm 10.7; Dt 31.30).

Mas afinal, devemos buscar o sentido do termo “igreja” no grego ou no hebraico? Para complicar ainda mais, temos o discutido episódio em que Jesus utiliza o termo ekklesia em Mt 16:18. O grande problema é que Jesus não falava grego: “Jesus falava o aramaico da Galiléia. A tradução de suas palavras para o grego, o que se deu muito cedo, acarreta inevitavelmente, em inúmeros casos, um desvio de sentido às vezes muito acentuado, no mais das vezes porém, leve[3]. A busca pela palavra original proferida por Jesus é tarefa quase impossível, e eu diria que é até mesmo inútil.

A gama de significados que o termo ekklesia pode tornar sua definição um tanto quanto confusa. Apesar disso, é possível notar uma significação comum a todos esses termos, que é o ajuntamento de pessoas com um objetivo comum, seja ele político, religioso ou militar. Descartando o sentido político e militar e fazendo uma síntese daquilo que compreendemos ser igreja analisando as epístolas neo-testamentárias (já que essa comunidade toma uma nova dimensão com o advento de Cristo), podemos chegar a simples, porém belíssima definição proposta por Leonardo Boff: “É uma comunidade daqueles que responderam com fé à convocação de Deus em Jesus Cristo por Seu Espírito[4]. Como resposta a essa convocação podemos destacar os sacramentos (nós protestantes gostamos mais do termo ordenanças), a busca pela comunhão e o estudo e prática dos ensinamentos de Jesus.



Notas:

[1] SANTOS, Luiz Roberto dos. O que é igreja?, 2005, p. 30.

[2] Ibid. p.31

[3] JEREMIAS, Joachim. As Parábolas de Jesus, 1986, p.19.

[4] BOFF, Leonardo. Novas Fronteiras da Igreja: o futuro de um povo a caminho, 2004.